9ª Primavera dos Museus no MUQUIFU


 

9 Primavera dos Museus_2015MUQUIFU Museu dos Quilombos e Favelas Urbanos
MUQUIFI Museu dos Quilombos e Favelas Indígenas

O movimento de enobrecimento de certas regiões das grandes cidades, também conhecido como gentrificação, será alvo de nossa analise em busca das razões que levam à destruição total de duas das cinco comunidades que compõem o Aglomerado Santa Lúcia, ou seja, as vilas Esperança e São Bento, que estão com data marcada para desaparecerem do mapa. Assim, o espaço ocupado por suas ruas, becos, casas, pessoas e histórias será transformado em um parque ecológico e uma avenida. O MUQUIFU propõe a salvaguarda daquilo que resistir aos tratores e à ganância da especulação imobiliária, ações estas protagonizadas pela Urbel-PBH. Nossa proposta é discutir com a cidade a presença definidora das culturas africanas na formação da cultura brasileira, além da importância de se criar meios para que os favelados sejam os protagonistas das ações de tutela e preservação deste patrimônio material e imaterial.

Diante de mais um desafio do Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM) decidi pensar sobre a presença indígena nos Quilombos Urbanos e Favelas e, confesso, não senti nenhuma dificuldade por se tratar da mesma situação de invisibilidade à qual somos vítimas enquanto negros que buscamos ocupar as cidades. Segundo dados recentes do IBGE, mais da metade dos índios brasileiros vive atualmente em território urbano. No entanto, eles permanecem invisíveis ao poder público, e lutam para ter acesso aos direitos básicos garantidos aos indígenas pela Constituição brasileira. O êxodo forçado da população indígena que por diversas causas se vê obrigada a se instalar no contexto urbano naquilo que arrisco definir como Quilombos Urbanos ou mesmo ‘Favelas Indígenas’.

Para a Primavera dos Museus 2015 o MUQUIFU traz uma programação variada que discute a presença indígena nos centros urbanizados, aglomerados, vilas e favelas, o mesmo destino dos negros, pobres e qualquer sorte de indesejados da cidade. Sendo assim, durante a Primavera dos Museus, edição 2015, nosso museu propõe uma PAJELANÇA onde as culturas presentes na favela possam dialogar na busca de sua preservação. Convidamos as BENZEDEIRAS para que nos apresentarem suas armas de resistência, as mesmas que garantiram sua sobrevivência nas cidades. Através do Projeto CAMINHOS DA CURA iniciamos o mapeamento do Aglomerado Santa Lúcia naquilo que se refere às suas hortas e quintais, repletos de ervas e raízes medicinais, bem como toda riqueza de um saber ancestral que confere a diversos moradores, benzedeiras, pais e mães de santo, pastores e padres o assim conhecido dom da cura. O CHÁ DA DONA JOVEM permanece como inspiração neste processo de resgate dos valores da cultura local. Também o JARDIM DA DONA WANDA irá receber novas mudas de ervas medicinais e as crianças terão oportunidade de prestigiar a CONTAÇÃO DE LENDAS, HISTÓRIAS E POEMAS INDÍGENAS.

Padre Mauro Luiz da Silva
Diretor e Curador do Muquifu

Programação

Rua Santo Antônio do Monte, 708 – Bairro Santo Antônio / Vila Estrela
30330-220 – BELO HORIZONTE – MG www.muquifu.com.br Tel:(31) 3296-6690 (31) 3296-6583

Dia 13 – Domingo
06:30h às 18h
VISITA: tradição entre os moradores do Aglomerado Santa Lúcia a viagem a Capim Branco (MG) será uma oportunidade de encontro entre as culturas africanas e indígenas. Nesta edição a visita incluirá, além do Jubileu de Bom Jesus do Matozinhos, uma visita ao Museu Histórico de Capim Branco e pesquisa sobre a presença indígena naquela região.

Dia 21 – Segunda-feira
15:00h as 16:00h – Ouro Preto
FESTA DE SANTA EFIGÊNIA: Padre Mauro irá presidir uma celebração eucarística na Matriz de Santa Efigênia, em Ouro Preto (MG). Durante a celebração Dona Maria Marta, rainha de Santa Efigênia do Aglomerado Santa Lúcia, participa dos cortejos do grupo de Congado de Ouro Preto.

Dia 22 – Terça-feira
17:00h às 22:00h
EXPOSICÃO: Os costumes e usos dos alimentos e ervas pelos índios e negros e a culinária no Morro do Papagaio. Pergunta-se nesta pequena mostra: o que se utiliza ainda hoje e nos vem como herança de nossos antepassados indígenas e negros?
EXPOSICÃO: MÚLTIPLAS LINGUAGENS – Divulgação do trabalho de implantação das Escolas Indígenas em Minas Gerais que, em 1999, formou a primeira turma de professores indígenas xacriabá, pataxó, maxakali, pankararu, xukuru-kariri, kaxixó.

20:00h às 22:00
INAUGURAÇÃO: Afrescos da Igreja dos Santos Pretos (parede norte) com as cenas do Nascimento de Jesus; Apresentação do Senhor; Fuga para o Egito. Nas paredes da Igreja dos Santos Pretos, na Vila Estrela, as pinturas retratam o cotidiano do Aglomerado e fazem um paralelo com a vida de Nossa Senhora. Artistas: Cleiton Gos e Fabiano Valentino.
LANÇAMENTO: O Projeto CAMINHOS DA CURA, no qual serão reunidos os conhecimentos das senhoras “benzedeiras” e “fazedeiras” de chá da comunidade (nossas “pajés”), que irão transmitir seus conhecimentos e histórias com os presentes.
SARAU: Gabriela Gomes (percussão), Mariana Zande (violão) e Padre Mauro Silva (piano) tocam e cantam Pop e MPB. Nos intervalos leituras sobre parte do projeto de Múltiplas Linguagens, com a apresentação de trechos da publicação “Da Voz ao Texto”.

Dia 26 – sexta-feira
9:00 as 16:00h
EXPOSIÇÃO: O MuquifocaMUQUIFU no carrinho de pipoca – visita a Escola Municipal Ulisses Guimarães, na Vila Santa Rita, na Rua Bolívia, número 532, com mini exposição acerca de poemas e cultura indígenas.

Dia 27 – Sábado
14:00 as 17:30h
CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS nos Jardins do MUQUIFU-Estrela acontece o relato de lendas Indígenas para as crianças e adultos além da leitura de poemas indígenas. A partir das 16h celebração de missa especial com as crianças das comunidades.

Dia 28 – Domingo
4:00 as 16:00h
GRANDE FESTA DO CONGADO: Guarda dos Marujos de São Cosme e Damião na Vila Santa Rita com alvorada ao som de tambores as 04:00h. Chegada das guardas visitantes a partir das 9:00 e almoço após 12:30h. Mais uma reflexão sobre a formação da identidade brasileira. Local: Rua União / Beco São Cosme e São Damião, Vila Santa Rita.
MISSA CONGA – Às 13 horas, na Capela Santa Rita de Cássia – Rua São Tomas de Aquino, 538 – Paróquia Nossa Senhora do Morro, em seguida Cortejo pelas ruas e becos da comunidade.

Confira a Programação Nacional:
MUQUIFU na página 82
http://www.museus.gov.br/wp-content/uploads/2015/09/guia_virtual_9primavera.pdf

Comente esta postagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Antes de comentar e para certificar que você é humano, faça a conta abaixo: *